Retrato da Paisagem

Sai de casa correndo, estava atrasada, certamente perderia o ônibus. Estava empolgada com minha viagem, havia decidido que viajaria ha muitos dias, deixei tudo bem planejado, horário de ônibus, roupas, malas, acessórios… Tinha me organizado perfeitamente, no entanto já estava saindo atrasada, o despertador nunca tinha deixado de funcionar antes, mesmo assim chegaria a tempo na estaçao rodoviaria.

Assim que cheguei um aglomerado de pessoas impedia a minha passagem até o ônibus que já estava saindo, corri, empurrei algumas pessoas que nao saiam do caminho e cheguei perto do ônibus quase sem folego, acenei com a mao, o motorista parou e pude entrar. Estava vazio busquei minha poltrona, me acomodei bem, peguei meu travesseiro de viagem, um lençol, meu ursinho que sempre viajava comigo e dormi. Sabia que a viagem era longa, entao a melhor coisa a fazer é sempre dormir para nao sentir o tempo passar. Cheguei até a sonhar, mas um barulho horrivel me trouxe a realidade.

 

Me assustei quando percebi que o onibus estava cheio, e as pessoas se apertavam, e conversavam, e estavam comodos, mesmo que em pé, crianças estavam chorando, e um cheiro dos menos agradaveis possivel infectou o ambiente. Mas as pessoas nao pareciam se importar, falavam de seus problemas pessoais, de dividas que tinham a pagar, da familia que estava doente, de um parente que tinha ido para o exterior… Eu os observava atonita, e cada detalhe fazia com que as histórias parecessem mais interessantes. A cada parada, entrava mais gente, será que estavamos todos indo para o mesmo lugar? O absurdo é que a empresa nao colocará onibus extras, muita gente em um só local, a viagem era incomoda para muitos (mesmo que eles nao se importassem). Pagamos caro por uma passagem, para viajar com comodidade, e existia tudo menos o conforto.

A idéia de desconforto começou a me deixar tonta e com nauseas, abri a janela, fechei os olhos e senti o vento entrar, o mau-estar foi passando, abri os olhos e me deparei com uma linda paisagem, e passei a me concentrar nela, o ruído interno tinha desaparecido, parecia que mundo tinha ficado mudo, as plantas, o vento, o céu, os rios, algumas casinhas que apareciam de vez em quando, davam a sensaçao de que eu estava vendo quadros, por que a natureza parecia que tinha sido desenhada, pela mao de nao sei quem.

Olhei para dentro e logo para fora do onibus, pela primeira vez senti que estava em dois mundos, do real e do irreal, a vontade que tive foi de sair pela janela e esperar que o vento pudesse me fazer voar, mas havia uma criança que outra vez voltará a chorar e me tirou a concentraçao, resolvi prestar atençao aos detalhes das pessoas e acabei outra vez dormindo.

Acordei com uma sirene apitando, e me dei conta que o ônibus estava vazio, provavelmente tinhamos chegado ao ponto final, onde eu finalmente deceria a caminho de minha sonhada viagem de trabalho. A empresa para qual eu estava trabalhando estava me analisando a um bom tempo, mas nunca me davam nenhuma oportunidade de mostrar o quanto eu sou importante para eles, nunca me deram uma oportunidade para que eu pudesse mostrar o meu verdadeiro trabalho, estava trabalhando em um cargo inferior ao que eu deveria trabalhar, e lutei para consegui provar que era capaz de exercer o meu verdadeiro cargo, me afastei de tudo, amigos, festas, familia, e durante dois anos me dediquei a provar aos outros o que eu realmente era. E agora estava a poucos passos de um encontro com empresarios para fechar um importante contrato para minha empresa. Enfim, consegui.

Desci do ônibus, achei estranho o local, olhei outra vez para o ônibus, e foi quando quase nao fico de pé, olhei em volta, me senti estranha…

Tinha pegado o ônibus errado.

O tempo passou, perdi meu emprego, achei outro nao tao bom, mas que dava para ter uma vida tranquila, no entanto voltei a ter o mais importante, meus amigos, minha familia, e um quadro de uma natureza viva, agora podia sair e voar. Estava livre.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: