A morte da Flor

A rosa tinha descoberto que seus passos eram solitários
Tudo o que parecia fazer sentido morria junto com o nascer do sol
só existia a ilusão da noite provocada pela sensação de solidão
Por que o corpo e a mente não tem mais ninguém.

Então a rosa abandonada murcha
Chora por não sentir a mesma presença antes sentida
A borboleta só pousa na flor quando não tem mais aonde pousar.

A noite tenta recuperar a derrota do dia
A rosa enche-se de alegria com o pouso suave da borboleta
Que busca descanso e afago para logo partir

Um dia a rosa murchou completamente
E já não tinha mais motivos para viver
Suas pétalas foram desprendendo-se do seu corpo
E ao cair da noite em um último suspiro
Viu de longe a borboleta voando em sua direção
Morreu, porém tarde demais a borboleta perceberá
Que suas asas aqueciam o coração da mais pura rosa
daquele jardim…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: