Gírias Baianas

Se é miúdo é pixototinho
Se é pequeno é cotôco
Se é alto é galalau
Se é franzino é xôxo
Tudo que é bom é massa
Tudo que é ruim é peba
Rir dos outros é mangar
O bobo se chama leso
E o medroso chama frouxo
Tá torto é tronxo
Se vai sair diz vou chegando
Dar a volta é arrodeio
Dinheiro é mufunfa

Pernilongo é muriçoca
Chicote se chama peia
Se tá folgado tá folóte
Quem tem sorte é ******
Sujeira de olho é remela
Gente insistente é pegajosa
Agonia é aperreio
Meleca se chama catota
Gases se chamam bufa
Catinga de suor é inhaca
Palhaçada é munganga
Desarrumado é malamanhado

 

:P… Só baiano mesmo!!! 😛

Anúncios

Campeã Baiana (antecipadamente) 2010

Mary Mar AlejoApesar de ainda faltar uma etapa do Campeonato Baiano de Tênis de Mesa, já estou comemorando o meu título de Campeã Baiana 2010, tendo sido também Campeã Baiana em 2009, 2008 e 2007. Comemoro antecipadamente pois mesmo perdendo a última etapa do Baiano a soma dos pontos são positivas para mim… 🙂
Mais

A casa dos sonhos

A muito tempo que não escrevo, acredito que perdi a criatividade, não sei mais o que escrever, começo com um poema e termino com um texto e quando vou verificar não serve de muita coisa, pois ali não consta nada do que eu realmente quis dizer, e percebo que tudo tem haver com o momento em que se vive. Quando estamos apaixonados começamos a escrever poesias e coisas bonitas, quando perdemos alguém começamos a escrever coisas mórbidas e escuras, e quando nem sabemos quem somos, ou o que estamos fazendo no mundo… simplesmente não sabemos sobre o que escrever.

Mais

Estrada

Estava andando pela estrada

O caminho longo a seguir

Uma música ecoava lembrando

De alguém que eu nunca esqueci.

Agora o vento trazia da distancia

O cheiro do amor de quem se ama

O coração bate acelerado a espera

Do retorno que une-se ao encontro

E sem querer uma lágrima cai dos olhos

Direto para o coração que sofreu com a saudade

E de repente, o sono da viagem

Tranquiliza o coração

E o caminho passa a ser mais tolerante

Pois o encontro das duas almas que brota o amor está próximo.

O pouso

Suas asas batem mais rápido do que o seu pensamento
Seus olhos, piscam clareando a escuridão
Seu andar, quase de salto em salto
Pousando em flores dos jardins do coração
Pequena, esperta, meiga…

Voando, sonhando… ohhh sonhando…

Eu, a observar, não sei se me emociono
Não sei se a invejo, pois em suas asas
A felicidade reina, pura felicidade, ingênua felicidade
E ao pousar em uma flor para descansar
O beija-flor cheio de amor
Uma lágrima dos meus olhos faz rolar…

O alquimista – Prólogo

O Alquimista pegou um livro que alguém na caravana havia trazido. O volume estava sem capa, mas conseguiu identificar seu autor: Oscar Wilde. Enquanto folheava suas páginas, encontrou uma história sobre Narciso.

O Alquimista conhecia a lenda de Narciso, um belo rapaz que todos os dias ia contemplar sua própria beleza num lago. Era tão fascinado por si mesmo que certo dia caiu dentro do lago e morreu afogado. No lugar onde caiu, nasceu uma flor, que chamaram de narciso.

Mais

Seja você quem for…

Seja você quem for
agora segurando minha mão,
sem uma coisa há de ser tudo inútil
— é um leal aviso o que lhe dou
antes que continue a me tentar:
não sou aquele que você imagina,
mas muito diferente.

Mais

Entradas Mais Antigas Anteriores